06
Mar 18

E no meio de não ser perfeita, sou mãe! Logo, serei muito imperfeita na busca de ser o mais perfeita possível. Porque o amor passeia ao lado da responsabilidade e se o amor me deixa um sentimento tão perfeitamente grande, sincero e intenso, a responsabilidade gera-me o sentimento de imperfeição, de insegurança, de medo de errar. É nesta intensidade de emoções que rola o ser mãe, que torna esta tarefa e este ser tão magnânimo e impotente ao mesmo tempo. Percebo! Não sou perfeita e vou errar. E se erro! Não será sempre e até pode ser só um pouco, mas é inevitável. E é esse “errar” que tenho de permitir que me aconteça para continuar a ser mãe com a devotação que entendo que merece. E depois também ouço muito: “És uma mãe-galinha do pior!” – É verdade! Sou mesmo mãe-galinha, mas não me parece que o seja ao ponto de abafar, de não deixar respirar! Entendo que para tudo há a sua (melhor) idade e vou-me orientando por aí. Como posso explicar isto melhor… deixa cá ver… Ora bem, cá vai uma série de imagens e a ver se a todos encaixa bem:

 

“Sabes que se habituares a bebé ao colo, ela só vai querer colo!” – WRONG: Só vai querer colo até deixar de querer e já deixou (entretanto, eu gozei ao dar-lhe colo até quando pude, "juntinhas, queridas, unidas e fofinhas" (como ela agora diz!)). Agora o colo é menos cobiçado ou eu já não posso mesmo com o peso e a criança compreende e não molesta! Ou sou eu que a chamo para um colo sentado no sofá enquanto dou abracinho e muitos beijinhos… depois, vai querer sair para ir fazer as coisinhas dela!! E a tendência será eu correr atrás para lhe dar colo 

 

“Tira-lhe a fralda que vais ver que não tem outro remédio senão fazer nas cuecas e vai ficar envergonhada, por isso, não vai fazer!” – WRONG: Tiro-lhe a fralda com o consentimento dela, pois já tem idade suficiente para dizer que sim ou não e saber se é melhor ou não. Não vou forçar, vou colaborar! Correu lindamente, seguiu as indicações ao ponto de estar na piscina e dizer “queo saí da água, deixa saí, queo fazê xi-xi!” Foi mas é divertido e nada de choraminguices obrigadas!

 

 “Deixa-a na cama a chorar qu’isso passa-lhe!” – WRONG: Não deixo nada, pois chora ela e choro eu de nervos por ouvi-la chorar! Deito-me com ela até adormecer, depois, gradualmente, com o tempo, mudo para a posição de sentada ao fundo da cama, depois mudo para a posição sentada numa cadeira, banco ou até no chão… e, depois, ela diz-me “podes ir e encosta a porta para não ver luzes nem ouvir barulhos.” Assim de repente e olhando para trás, foi tão fácil e já passou tudo… ah! E não adormece com luzinhas; na verdade não gosta de as ter quando dorme uma amiguinha com ela – E lá arranjamos forma de satisfazer as duas 

 

“Não lhe dês tudo porque habitua-se! – RIGHT: Mas não dou porque não dou, explico porque não dou, mesmo que fique zangada – depois, compreende e passa-lhe, mas passa-lhe com noção da razão.

 

“Deixa-a tomar banho sozinha, tem de se habituar!” – WRONG: Se ainda não se sabe lavar, deixo-a tomar a primeira parte do banho sozinha, depois sou eu a dar-lhe banho na segunda parte para tirar bem o sabão, sobretudo dos cabelos! Se ela o pede e eu sei que não o vai fazer em condições, explico-lhe o motivo por que não e, enquanto a lavo na segunda parte, explico-lhe como deve fazer melhor. Com o tempo, ela vai autonomizar-se! Agora, é ela que faz isso tudo sozinha, até escolhe a roupa, a não ser que lhe apeteça que ainda quer a mãe e sabem: faço-lhe a vontade, pois não me custa nada e sei que de hoje para amanhã até isso vai deixar de ser tarefa minha!

 

“Mamã, ensina-me a cortar as unhas! – RIGHT: Ensino, sim senhora, quando tiver mais destreza. Por acaso, finalmente, já pude começar a ensiná-la… mas está numa fase de querer deixar crescer as unhas para se sentir uma senhora… fica horripilante, mas eu lembro-me de ter passado por isso… e adorava ver as unhas grandes de perfil em contraluz… desde que não estejam sujas “Olha, quando quiseres cortar, diz ou corta!” Bom, suponho que quem sofra mais deste mal seja a prof de piano… mas ela é uma querida e não diz nada 

 

“Mamã, vocês deitam-se mais tarde, porquê?” – Isto, sim, é muito WRONG (o deitarmo-nos tarde!), mas eu explico “Porque agora é a minha vez de ver as minhas séries e tu não podes vê-las pois não são adequadas à tua idade! Resta-me esta hora do dia, portanto, toca de ir para a cama para eu poder ter o meu momento hehehe”

 

Claro que erro e muito, mas, neste momento, não me apetece estragar a coisa boa descrita 

publicado por Gabriela Lima às 21:34

Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

18 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO